Google Page Experience: UX como fator de ranqueamento

A Google fez um anúncio recente muito importante, Trata-se do Google Page Experience, projetado para julgar as páginas com base em como os usuários percebem a experiência de interagir com elas. Isso significa que, se o Google considerar que os usuários do seu site terão uma experiência ruim em suas páginas, ele poderá não classificá-las tão bem quanto agora.

O que é page experience?
O Google tem uma área com a documentação detalhada sobre os critérios de experiência na página. Em resumo, essas métricas visam entender como um usuário perceberá a experiência de uma página específica.

Alguns itens que são levados em consideração no page experience:

*Se página carrega rapidamente;
*A compatibilidade com dispositivos móveis;
*Se a páginas é executada em HTTPS;
*Se há presença de anúncios intrusivos;
*Se o conteúdo “salta” (oscila) à medida que a página é carregada.

A experiência na página é composta por fatores de classificação do Google já existentes (incluindo a otimização para mobile, Page Speed ​​Update, o aumento da classificação HTTPS, a penalidade intersticial intrusiva, a penalidade de navegação segura) enquanto refina as métricas de velocidade e usabilidade. Esses refinamentos estão no que o Google chama de Core Web Vitals.

O que são Core Web Vitals?
Core Web Vitals incluem métricas reais centradas no usuário, que fornecem pontuações às páginas com base em tempo de carregamento, interatividade e estabilidade do conteúdo à medida que ele é carregado.

Largest Contentful Paint (LCP)
O Largest Contentful Paint (LCP) mede o desempenho de carregamento. Para fornecer uma boa experiência ao usuário, o LCP deve ocorrer dentro de 2,5 segundos após o início do carregamento da página.

First Input Delay (FID)
O First Input Delay (FID) mede a interatividade. Para proporcionar uma boa experiência do usuário, as páginas devem ter um FID inferior a 100 milissegundos.

Cumulative Layout Shift (CLS)
O Cumulative Layout Shift (CLS) mede a estabilidade visual. Para fornecer uma boa experiência do usuário, as páginas devem manter um CLS menor que 0,1.

O Google disse que page experience especificamente não é uma classificação, mas cada elemento possui seus próprios pesos e classificações no algoritmo geral de classificação do Google. Agrupando temos:

Fatores de page experience
Já destacamos acima os fatores do Core Web Vitals mas segue abaixo um resumo com todos os fatores de experiência na página:

*Largest Contentful Paint (LCP): mede o desempenho do carregamento. Para fornecer uma boa experiência ao usuário, os sites devem se esforçar para que o LCP ocorra nos primeiros 2,5 segundos após o início da carregamento da página.
*First Input Delay (FID): mede a interatividade. Para proporcionar uma boa experiência ao usuário, os sites devem ter um FID inferior a 100 milissegundos.
*Cumulative Layout Shift (CLS): mede a estabilidade visual. Para fornecer uma boa experiência ao usuário, os sites devem ter uma pontuação CLS menor que 0,1.
*Mobile-Friendly: a página deve ser compatível com dispositivos móveis. Verifique se suas páginas são compatíveis com dispositivos móveis com o teste de compatibilidade com dispositivos móveis.
*Safe browsing: a página não contém conteúdo malicioso ou enganoso. Verifique se o seu site tem algum problema de navegação segura no relatório de problemas de segurança.
*HTTPS: a página é veiculada em HTTPS. Verifique se a conexão do seu site é segura. Veja também se não há problemas de conteúdos mistos (seguros e inseguros) nas páginas.
*Intersticiais intrusivos: o conteúdo da página é facilmente acessível ao usuário, sem popups ou banners intrusivos. Saiba como os intersticiais podem tornar o conteúdo menos acessível.
Cumulative Layout Shift (CLS)

O destaque desse anúncio do Google ficou por conta da nova métrica que analisa se a página é estável quando carregada (ou seja, as imagens, o conteúdo e os botões se movem pela página à medida que a página é carregada ou a página é fixa). Em resumo, analisa se o layout da página é alterado, resultando em uma má experiência do usuário.

Prepare-se para esta atualização
Essa atualização não será lançada este ano, somente em 2021. O Google prometeu dar um aviso seis meses antes do lançamento. Esse tempo deve ser suficiente para, caso ainda não tenha um site otimizado, promover os ajustes necessários.

Você já pode se preparar para todas essas alterações com as ferramentas listadas anteriormente. Você também pode usar o novo relatório Core Web Vitals no Google Search

Prepare-se para esta atualização
Essa atualização não será lançada este ano, somente em 2021. O Google prometeu dar um aviso seis meses antes do lançamento. Esse tempo deve ser suficiente para, caso ainda não tenha um site otimizado, promover os ajustes necessários.

Você já pode se preparar para todas essas alterações com as ferramentas listadas anteriormente. Você também pode usar o novo relatório Core Web Vitals no Google Search.

Se você gosta de usar o Data Studio também já existe um novo template para o Chrome UX Report (CrUX Dashboard v2). É um bom ponto de partida se você não quer nada muito customizado mas ainda assim bem completo. Faça uma cópia, conecte sua base de dados e voilà!

Deve me preocupar com essa atualização?
Sim. Pelos motivos certos.

Se preocupar apenas por ser uma atualização do algoritmo e não fazer nada a repeito é um problema. Perceba que essa atualização visa oferecer ao seu usuário uma melhor experiência. Se o Google têm essa preocupação, acho que o mínimo que você também pode fazer pelo seu usuário é oferecer um site com navegação rápida e segura.

Conteúdo ainda é o fator mais importante
O Google deixou claro que um ótimo conteúdo ainda terá uma classificação alta na pesquisa, mesmo que a página tenha uma experiência prejudicada.